sábado, 19 de julho de 2014

Por que hoje é sábado!

Recentemente estive em Teresina num pernoite que chamamos de “inativo”. O inativo é quando temos praticamente o dia inteiro parado em determinada cidade e neste caso, chegamos ao hotel à uma e meia da madrugada para sair do hotel às três da madrugada do outro dia.

Não foi um dia de folga, mas foi quase; acordei tarde, caminhei e fiz exercícios no calçadão ao longo do rio Poty, liguei o computador, fui ao shopping com a tripulação para almoçar e depois ainda peguei uma sessão de cinema. De volta ao hotel assisti TV, fiz um lanche e tratei de dormir cedo para poder acordar disposto para o voo de volta. Foi uma sexta feira com cara de sábado.

No dia seguinte, um sábado, ao atingir o nível de cruzeiro efetuei o speech para os passageiros, comentando que era um prazer recebe-los naquele domingo de tempo bom. Depois do pouso em São Paulo desejei aos passageiros um bom domingo. Eu estava crente que era um domingo, afinal de contas, o dia anterior havia sido muito tranquilo.  Os passageiros desembarcaram dizendo que o voo tinha sido muito bom, mas que eu estava enganado quanto ao dia, ainda era sábado. OK, eu errei o dia, mas acertei o destino! 

Fiquei com esta estória de sábado na cabeça e pensei em fazer algo diferente. Semanas depois, desta vez com certeza um sábado, decolei de Recife para o Rio de Janeiro e, num momento adequado, fiz um speech que foi mais ou menos assim:

“Senhoras e senhores, meninas e meninos, bom dia. Quem fala é o comandante e hoje vou usar o sistema de som para fazer um anúncio um pouco diferente do usual. Será baseado numa poesia de Vinicius de Moraes, que em outubro de 2013 teria completado 100 anos de idade. A poesia se chama O dia da criação, porem é mais conhecida por Por que hoje é sábado

Recém atingimos o nosso nível de cruzeiros, tendo já deixado para trás a cidade me Maceió, por que hoje é sábado.

Logo sobrevoaremos Aracaju e na sequencia Salvador, por que hoje é sábado.

Seguiremos então deixando as cidade de Ilhéus, Porto Seguro e Caravelas à esquerda até entrarmos em Minas Gerais, por que hoje é sábado.

Após sobrevoar Barbacena iniciaremos a descida com pouso previsto para a uma da tarde, por que hoje é sábado.

Vamos encontrar a cidade de Rio de Janeiro com tempo encoberto, chuvas ocasionais e temperatura de 21 graus, por que hoje é sábado.

Em rota o tempo é bom, mas para a sua segurança e minha tranquilidade, mantenham os cintos afivelados enquanto estiverem sentados. Aproveitem o serviço de bordo e tenham uma boa viajem, por que hoje é sábado!”

Na descida, já próximos do Rio de Janeiro eu fiz mais um comentário para os passageiros, por que hoje é sábado. E após o pouso agradeci a todos desejando um bom domingo, por que hoje é SÁBADO!

Sei que é muito difícil agradar a todos, mas acredito que eu consegui agradar à maioria. Eu, pelo menos, mais uma vez me diverti.


    O dia da Criação



    • Excelente esta paródia sobre aeroportos e tripulantes. Mas que fique bem claro que este Carvalho a que ele se refere, trabalha em outra empresa, não sou eu!

    15 comentários:

    1. Excelente Comandante! Fico esperando o dia em que voarei com o senhor para poder sair da Aeronave com um sorriso no rosto, feliz com seus famosos speeches.
      Abraços,
      Dennis

      ResponderExcluir
    2. Sensacional...como de costume.

      ResponderExcluir
    3. Falta um botão de Curti :)

      ResponderExcluir
    4. Olá Beto, Sou Renylson Marques de Petrolina-PE e conheci seu blog em 2013 no qual já li todo conteudo do mesmo no tempo da sua "hibernação" e sou um apaixonado pela aviação no qual eu tenho um grande sonho de entrar na manuteção aérea, mesmo numca ter voado em nenhuma aeronave, mas um certo dia aparece minha primeira oportunidade de voa no dia 14/10/2014 um vôo curto (PNZ-REC) mais um vôo que numca vou mais esqueçer na minha vida, pois tudo na vida Deus faz com que incriveis conciedencias acontecem, assim que ouvi uma boas vindas e um bom vôo de um comandate bem alegre no qual chamou de senhores, senhoras e meninos e meninas com um tom de realmente ter nós com passageiros ser a coisa mas prazerosa de sua profissão e seu vôo, quando você falou seu nome o que veio em minha mente foi logo aqui seu blog, no qual você fala dos seus speeches alegres e não tive duvidas que estava voando com o senhor no comando da aeronave no meu primeiro vôo, foi emoção pura no qual não segurei as lagrimas no vôo... Quando eu desci em REC no Gate vi o você e acenei com um tchau e no mesmo tempo queria girtar e dizer o obrigado por me dar um presente como esse... tentei através de gesto falar que eu via seu blog em forma de digitar mais acho que o senhor não me entedeu e acho que me achou que eu era até um doido... (rsrsrs) ali a emoção estava a mil, em fim quero deseja meu muito obrigado e que Deus te ilume sua vida e de sua familia. Respero que possa ler esse meu comentario e se possivel me respondesse se o senhor ainda se recorda do rapaz no gate fazendo gestos de está digitando algo... Segue meu e-mail renylsonmarques@ig.com.br. Abraços Cmt. Beto

      ResponderExcluir
    5. Olá Comandante Beto!!!
      Passando pelo “blog” tive a grata surpresa de constatar o fim da “hibernação”. Que coisa boa saber que a vontade de escrever voltou!!! Grande abraço e, como de costume, ávido pelo próximo texto.
      Sérgio.

      ResponderExcluir
    6. Hoje passando por aqui me deparei com novas historias,há algum tempo não visitava o blog devido a hibernação,e mesmo nesses tempos de facebook,com diversas comunidades sobre aviação pude ver o quanto aprendi aqui com seu blog Comandante Roberto!! Muito bom e espero que os intervalos sejam cada vez menores!!

      ResponderExcluir
    7. Comandante Beto, quando vou conseguir voar com o senhor? Até hoje não tive o prazer, mesmo sendo passageira frequente da sua companhia.
      Volte a escrever no blog! abraços!

      ResponderExcluir
    8. Sempre passo por aqui, está na minha pasta de favoritos. Saudades das histórias do Comandante. Que tal um novo post comemorativo de um ano sem postar? Já li, reli e treli o blog inteiro.

      ResponderExcluir
    9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      ResponderExcluir
    10. Entrei nesse excelente blog, porque hoje é sábado, pena que o comandante esqueceu dele... Saudade dos causos.

      ResponderExcluir
    11. Você volta ainda, comandante??

      ResponderExcluir
    12. Comandante Beto,
      gostaria de tirar uma dúvida sobre um acidente acontecido em Brasilia com Boeing 737 da Vasp, prefixo PP-SMY em 24/05/1982.
      Comandante:
      Paulo Ulisses de Godoy , 35 anos, 8 anos de Boeing, voou Viscount e taxi aereo, tendo comentario elogioso de Oficial DAC, por ocasião de "check", conceito Excelente Performance como comandante,
      Copiloto : Jorge Cristiano Reis, 29 anos, admitido Vasp 1980, 2 anos de Boeing, pilotou Bandeirante 110, segundo tenente aviador da FAB, diplomado Adm.de Empresas pela Universidade Federal Rio Grande do Sul, tendo estagio no Cenipa em 1979, prevenção acidentes aeronauticos.
      Comissarios: Tomas, Rubens, Souza, Eliane, Silva e Graça.
      2 mortos ( Luis Celso e Edgar de Grazia) e 15 feridos leves,
      Segundo a FAB as condições meterilogicas eram normais, na hora do pouso
      segundo passag. o aviao fazia voo normal, com 111 pass. e 6 tripulantes, São Paulo- Brasilia, qdo ao pousar em meio a forte chuva, houve um primeiro impacto sobre o chão, seguido de outro mais forte qdo o corpo do avião partiu-se ao meio logo atras da asa e parte dianteira seguiu 200 mts, ate parar na pista auxiliar.


      Versão 1
      Segundo presidente da VASP, Geraldo Meira Silva, houve muita habilidade do Comandante, a tragedia poderia ter sido pior, Comandante Godoy, afirmou ao Presidente da VASP, que a aeronave estava fazendo aproximação de descida, começou a chover e ventar muito forte, o avião chegou ao pousar, dai sentiu a asa direita subir e perdeu o controle sobre o aviao, que inclinou-se p/ direita e encontrou uma canaleta de concreto, supoe-se que a aeronave tenha feita uma volta sobre a canaleta . para depois romper-se em 2 pedaços.( 12ª fileira)
      Versão 2
      , é que houve impericia do Comandante, que errou a cabeceira da pista e pousou no meio dela forçando o pouso,
      Versão 3
      foi pouso duro, aquele que estraga a Aeronave, bater com aevião no solo muito forte.

      Paulo

      ResponderExcluir
    13. Saudades das postagens cmte. Volte assim que possivel!! Abraco

      ResponderExcluir