terça-feira, 24 de novembro de 2009

A vingança do Zumbi

Esta estória se passou com um colega na década de 90. Este colega, que como eu era comandante de Boeing 737-200, estava pernoitando com a tripulação em Aracaju, no Hotel Parque dos Coqueiros. Um hotel que fica bem próximo ao aeroporto e um pouco a direita do alinhamento da pista, com um belo jardim, de frente para a praia, com instalações em estilo rústico e chalés voltados para a piscina. A tripulação tinha que dormir cedo, pois na manhã seguinte a decolagem seria às seis da manhã. Para isso sairiam do hotel as 5:15 hs, sendo o despertar marcado para às 4:30 hs da manhã. Durante a tarde, observando o movimento ao redor da piscina, este colega percebeu que não iria ser fácil descansar durante a noite, pois havia um intenso movimento de pessoas preparando o hotel para uma grande festa. Ele tentou mudar de apartamento, para um que ficasse o mais afastado possível da piscina, suposto local da festa, mas como o hotel estava lotado, seu pedido foi negado. Dez da noite, onze horas, meia noite e com o som alto e muita algazarra era impossível para ele relaxar e dormir. Tentou novamente junto à recepção uma mudança, tendo inclusive procurado o gerente do hotel para explicar o problema, e pedindo encarecidamente por uma solução para que ele e os demais tripulantes pudessem ter um mínimo de descanso. Lá pelas tantas o gerente disse que ele não poderia fazer nada, e que ele e a tripulação que se virassem! E ele se virou mesmo. Ficou na cama virando de um lado para o outro tentando em vão descansar, já planejando uma vingança! Quando a festa parecia estar terminando e o silêncio voltando, o despertador tocou. Com banho tomado e uniformizados a tripulação seguiu para o aeroporto. O hotel ficava muito perto da pista, bastando uma curva à direita logo após a decolagem para sobrevoá-lo. Mas sobrevoar o hotel não seria suficiente, tinha que ser um verdadeiro rasante, de preferência em cima do apartamento do gerente. Dito e feito! Combinou com o co-piloto (que também não tinha conseguido descansar e queria ver o circo pegar fogo) e na decolagem, logo após sair do chão, quase que em vôo nivelado, curvou à direita passando sobre o hotel. O 737-200, diferentemente dos 737 das séries 300 em diante, é um avião da década de 70, e possui motores de outra geração. Não apenas menos potentes e econômicos, mas sobretudo, muuuuito mais barulhentos! Este Comandante, com a confirmação de outros tripulantes que estavam no hotel pernoitando, afirmam que o rasante foi um ESPETÁCULO! Todo o hotel tremeu! Telhas se deslocaram do telhado e todos que lá estavam, sem exceção, acordaram sobressaltados. O vôo seguiu para o Galeão/RJ e lá chegando já havia um comunicado para que o Comandante se reportasse imediatamente ao Diretor de Operações! O colega foi punido com uma suspensão do trabalho por 29 dias; e aceitou serenamente o “gancho”, afinal não havia nada que ele pudesse dizer em sua defesa. Foi para casa descansar, por 29 dias, sempre sorrindo ao se lembrar de sua contundente vingança.

12 comentários:

  1. Aqui se faz,aqui se paga,apesar dele ao que parece ter infrigido os regulamentos conseguiu sua vingança,que como dizem é um prato que se deve comer frio!!
    Aproveito para cumprimenta-lo pelo blog, tomei conhecimento dele atraves de uma postagem no orkut e como sou apaixonado por aviação estou adorando,pois aqui temos a vida real da profissão, continue comandante pois é muito bom!!

    Walmir Braga
    aurisom@isimples.com.brAqui se faz,aqui se paga,apesar dele ao que parece ter infrigido os regulamentos conseguiu sua vingança,que como dizem é um prato que se deve comer frio!!
    Aproveito para cumprimenta-lo pelo blog, tomei conhecimento dele atraves de uma postagem no orkut e como sou apaixonadao por aviação estou adorando,pois aqui temos a vida real da profissão, continue comandante pois é muito bom!!

    Walmir Braga
    aurisom@isimples.com.br

    ResponderExcluir
  2. hahahahah!! Complicado ein!?!? Eu não tería coragem de fazer o mesmo, mas tem muita gente que é bem doidão e não tá nem aí, faz mesmo e que se dane!!
    SHow, imagino eu a cena! Com aquele ronco lindo do breguinha então...
    Abraçao

    ResponderExcluir
  3. Aahhaha muito bom!! Gerente se lascou!!! Bem-feito!

    E se fosse Diretor de Operações não punia e ainda rescindia contrato com o hotel!

    Parabéns pelo blog, Comandante, um enorme prazer ler cada um dos seus textos.

    Lúcio

    ResponderExcluir
  4. Genial, mas acho que nos dias de hoje o comandante nao teria essa coragem toda... Pena.

    ResponderExcluir
  5. fiquei imaginando a expressão de espanto do pessoal que se encontrava no hotel naquele momento... se tem uma coisa que deixa temeroso quem mora ou trabalha próximo aos aeroportos... é a queda de uma aeronave... e deve ter sido isso mesmo o que se passou na cabeça daquelas pessoas... huahuahuahuahua... belíssima vingança...!!! eu faria o mesmo...!!! com toda certeza...!!!


    Renato Neves.

    ResponderExcluir
  6. Imagina pegar um 737-800 igual ao que o sr comanda, derrubaria o hotel haja visto o estrago que o breguinha fez hehehe

    Ederson

    ResponderExcluir
  7. cmte. poderia fazer um post da aviação REAL Vs Virtual !

    ResponderExcluir
  8. Caro Bruno, acho que me faltam dados para escrever sobre o tema proposto, pois eu não conheço a aviação Virtual. Se eu tiver uma idéia, quem sabe, mas fica difícil.

    ResponderExcluir
  9. Sensacional!!! Poderia ter sido com um DC-8. Ficaria melhor a vinganca.

    ResponderExcluir
  10. Hehe! Muito bom! Parabens pelo blog Carvalho, frequento sempre. Já fiquei hospedado, nao no mesmo hotel mas provavelmente na mesma região por alí da praia, e posso confirmar que mesmo numa operação comum e com um motor moderno faz barulho mesmo! Que dirá os 732 e ainda razante...

    ResponderExcluir
  11. A curva a direita com passagem sobre o hotel é normal para os voos com destino a Salvador, na RDL244, nós apenas ´retardamos´(risos) a subida, o que configurou um razante.
    Solicitamos mudança de hotel sem sucesso, o volume era insuportável dada a distancia do evento, (8metros de nossos aptos).
    A história procede e hoje eu nao faria de novo, a aviaçao está muito segura hoje em dia e pretendo que assim permaneça.(risos)
    Um abraço Carvalho!

    ResponderExcluir
  12. HAhahah não é q o cara apareceu! ótima história! valeu ao comandante e ao Beto pela recordação ótimo blog! Já tomei uma baforada de um -200 aki no pátio do SBMQ... hehehe as palmeiras se curvaram... q cheiro de querosene incrível!

    ResponderExcluir